No maior evento de moda da cena nórdica, o Copenhagen Fashion Week mostra, agora em agosto, as coleções dinamarquesas e internacionais primavera-verão 2016.

Participam desta edição talentos da moda já estabelecidos, mas também há foco também para novos designers.
Algumas características que muitas das marcas que se apresentam tem em comum é a abordagem contemporânea, a elegância e à inovação nos tecidos.

Tanto nos desfiles como nas exposições das feiras comerciais, CIFF e Revolver, que acontecem durante estes três dias, a imprensa, os compradores e os visitantes tem a possibilidade de conhecer mais o estilo escandinavo de ser e vestir, estilo que vem atraindo, a cada ano, cada vez mais mídia e reconhecimento internacionais.

Sob o sol e uma atmosfera de verão, a entrevista coletiva desta temporada foi ao ar livre, na praça da prefeitura. A diretora executiva do Copenhagen Fashion Week, Eva Kruse e o prefeito Anna Mee Allerslev deram as boas vindas á imprensa e aos visitantes antes do desfile de abertura.

unnamed (4)unnamed (5)

unnamed (6)unnamed (7)

O desfile que abriu o evento foi o da Lovechild 1979, das designers Katrine Rabjerg and Anne-Dorthe Larsen aconteceu no belo edifício da Prefeitura da Cidade de Copenhagen. O nome da marca vem da paixão das duas pela arte, da dedicação que colocaram no criar a marca e também do ano em que ambas nasceram. Elas buscam atenção ao detalhe, assim como a simplicidade alinhada no dia-a-dia em uma mistura do estilo masculino e feminino.

unnamed (8)unnamed (9)

unnamed (10)unnamed (11)

Outro evento, aberto e paralelo aos desfiles e ás feiras de comércio, é o Fashion Festival/Fashion Square, A Praça da Moda, no centro da cidade, onde alguns patrocinadores deixam atividades pop-up à disposição do público como por exemplo ter seus cabelos preparados por profissionais, experimentar jóias, lanchar no lounge ao ar livre e ter sua foto clicada no estilo capa de revista.

Todos temos alguma peça de roupa que fica ali no closet sem ser usada há tempos, não é mesmo? Bom, acontece também o Fashion Exchange, onde, uma peça de roupa usada, em boas condições, é claro, vale a troca por outra ou outras. Uma forma de sustentabilidade aplicada á moda!

Através dos próximos posts a ideia é mostrar um pouco da atmosfera do evento, das coleções e dos estilos vistos, que tenham esta vibe cool nórdica, que entre interpretações afins com a nossa do sul, assim como internacional em geral, inevitavelmente nos mostra um lado criativo diferente.

Foto: Dani Rozman