Moda e sustentabilidade andam juntos cada vez mais. Na coluna de hoje, Carolina Souza reflete sobre a importância de um pensamento mais ecológico em todos os sentidos, muito além do tecido ou do plástico. Uma mudança para a vida.

Quero abolir o plástico da minha vida.

Daqui a 5 anos não quero mais ter mais esse peso na consciência.

Será um processo bem longo e bem difícil. Além de toda uma readequação mental que precisamos fazer (que ao menos depende apenas de força interna), temos de lidar com uma sociedade completamente viciada na facilidade do plástico, e cega quanto aos seus malefícios.

É praticamente impossível comprar qualquer coisa que não venha embrulhada em milhares de embalagens. As pessoas te olham esquisito quando pedimos que não coloquem nossas compras em sacolas, que queremos usar uma sacolinha handmade de tecido.Viramos motivo de piada quando pedimos pro garçom da festa servir bebida no nosso caneco, porque óbvio que é melhor usar 10 copos descartáveis por balada.


Eco bags no street style! Celebridades e anônimos estilosos também carregam suas sacolas para as compras.

 

O uso de plástico chega a ser indecente. Basta olhar em volta e ver que tudo é de plástico. Ok, podemos pensar que ele é pode ser reutilizado, mas a realidade é que usamos uma vez e jogamos fora. Alguém compra refil pra caneta? Não, até porque não tem onde comprar!

Além disso, apenas 5% de todo o plástico usado no mundo é reciclado. Ao menos estudos vem mostrando que aquelas famosas ilhas de lixo e plástico boiando pelos oceanos estão diminuindo. Sabe por quê? Os peixes e pássaros estão se alimentando disso e, bom, eles estão voltando a quem os descartou: os estômagos dos humanos incautos. Saudável.

Não sou ecochata, mas a questão do plástico grita aos olhos. Pra ajudarmos a mudar isso, eu sugiro começar como eu comecei, anos atrás: baby steps!

Abaixo, alguns exemplos de ações que qualquer um pode fazer:

– Não pegar mais sacolas quando fizer compras. Leve sua própria sacolinha de tecido de casa. Se precisar de sacolinha pro lixo, pegue algumas. Mas certeza de que não precisas daquele pega-saco lotado na despensa, né? Há uma geração atrás, todos embalavam as coisas com materiais recicláveis/reutilizáveis. Não é difícil.

– Leve sua embalagem de casa, pra tudo. Pra pegar a sobra da comida do restaurante, pros alimentos pesáveis da quitanda. Eu babo vendo as mercearias dos países desenvolvidos, onde tudo é vendido a granel, cada um levando seu saco, sua garrafa.

– É bem difícil achar comércios socialmente responsáveis. Mas a internet está aí pra ajudar. Dá pra comprar escovas de dente de bambu, canudos de metal, garrafas de aço inox. O cartão de crédito não serve apenas pra comprar vestidinho da Asos, experiência própria.

Estou sempre em busca de lugares e pessoas que pensem como eu.

Idéias e opiniões para sermos cada vez mais waste free são muito bem-vindas nos comentários!

assinaturas_colunistas_carol_souza