Novo colunista de moda masculina do portal traz os segredinhos, novidades e dicas quentinhas direto da cidade luz para o seu début no Fashion RS

Para ler ouvindo: Etienne de Crécy – We, Computers
 
Claude Montana - Paris 80's

Claude Montana – Paris 80’s

Paris é, e sempre será, sinônimo de elegância. Sim. Os parisienses – e os que acabam ficando por lá – naturalmente se diferenciam pelo jeito clássico com pegada edgy, mas sem esforço algum de se vestir.

Parece fácil, e realmente é quando você tem informação e a variedade de lojas como eles têm por lá. A informação você encontra abaixo, agora só vai faltar morar na cidade luzzzzzzzz.

High-low é termo chave para os parisienses. Eles investem em peças de qualidade, que só vão ser trocadas – se forem – quando estiverem puídas, misturadas com labels locais e outras marcas de medium budget. A diferença mora aí. O parisiense inve$te no clássico apenas uma vez, a “manutenção fashion” fica por conta das lojas de departamento e marcas menores, mas não menos legais. Marais e Saint-Germain-de-Prés são os bairros ideais para esse tipo de manutenção.

O que usar?

Comece apostando na tríade de marcas rocker-slim-chic que você encontra em to-das as esquinas da cidade: Zadig & Voltaire, The Kooples e Sandro.

A Sandro, minha preferida, é a mais cool das três. O jeans skinny lembra o da Cheap Monday – pra vestir e só tirar quando rasgar (na bunda. No joelho ainda está ok). Vá na Sandro Stock (50, Rue Vieille du Temple), lá você encontra coleções passadas e preços bem menores.

Sandro

Sandro

Na Zadig & Voltaire, mais roqueira que as outras, você encontra print de caveira – inclusive aquele scarf igual ao da McQueen, rs – e boas jaquetas de couro. As perfectos de lá são as preferidas dos locais (as da Surface to Air também não fazem feio).

Zadig & Voltaire

Zadig & Voltaire

A The Kooples, marca famosa por suas publicidades com casais (kooples = couples) bacanas, é conhecida pelo savoir faire em alfaiataria pra gente magra (ou seja, quase todos os parisienses). A Kooples também tem uma linha pra quem é sarado/malhado, mas não tem coragem de usar Abercrombie: a Sport Kooples.

Kooples

Kooples

A.P.C.
Amo! Basicão cool e clean, mais barata que a Acne e com qualidade made in france. A marca de Jean Touitou coleciona colaborações (Kanye West, Nike, Carhartt…) e está no guarda-roupas de 100% dos descolados de Paris. Pra quem não sabe, A.P.C. significa “Atelier de Production et de Création”.

A.P.C6-apc3

Carhartt
Marca americana focada em roupas para trabalhar. Workwear. Simples e funcionais, as peças da Carhartt não fogem da cartela de tons terrosos e neutros.

7-carhartt 8-car3

COS
A COS é a marca adulta do mesmo grupo da H&M. Minimal até o último fio de cabelo, a COS, confortável por tradição, faz a minha camiseta básica preferida – dá pra dormir, usar por baixo ou usar só ela mesmo. Pra quem não quer usar a roupa só por uma temporada.

COS

COS

Au Jour Le Jour
Jovem e divertida, a marca, protegé da Armani, caminha ao lado da italiana MSGM, outra label que faz sucesso com os padrões inusitados.

11-ajljjj12

MSGM

MSGM

MSGM

MSGM

Adidas Stan Smith
Relançado no começo do ano, o clássico modelo da Adidas batizado com o nome do premiado tenista é, indiscutivelmente, o tênis da temporada. Busquem conhecimento!

17

Adidas Stan Smith

15  17.2

Euzinho dormindo de Stan Smith

Euzinho dormindo de Stan Smith

Chinelo Adidas
Se você já ouviu falar em Normcore – termo que invadiu publicações como Vogue de vários países, New York Times e The Guardian -, está ciente sobre essa moda de parecer um tio trabalhador de meia idade. Os mais ousados (eu!) usam com meia mesmo. Birkenstocks e outras sandália também valem!

18 19  212022

Chapéu “cata ovo”
Meus primos usavam nos anos 90 e eu achava um máximo. O Chorão do Charlie Brown também usava. Os parisienses usam.

2423  25 26

Tom Wood
Os anéis de ônix da Tom Wood são desejados por grande parte da cidade.

27 28 29

Vert
Marca de tênis sustentáveis (e não são feios!!!) baseada em Paris, mas com dna from Brésil.

30

Vintage

Brechó é o que não falta em Paris. Dos chiques aos fedorentos, vale entrar em TODOS.
Preste atenção nas etiquetas – sempre rola encontrar uma peça daquela marca que você adora por um preço *ok*.

Os meus brechós preferidos são:
Episode, na Rue Tiquetonne, paraíso hip.

Espace Kiliwatch: A loja é grande. Uma misturança de vintage com roupas novas, revistas e etc. Destaque para seleção de carré Hermès (originais, claro) por menos de 300 euros.

Didier Ludot: Tem Chanel, Saint Laurent, Prada, Etro, Kenzo. Não precisa de explicação.

Barracas de rua e feiras: Durante os finais de semana, nas regiões mais periféricas da cidade, muitas pessoas vendem roupas e objetos de decoração pelas ruas mesmo, no chão. Fique de olho!

Esse foi meu primeiro post para o portal. Lembrando que “o que se usa em Paris” também pode ser usado em qualquer outro lugar do mundo. Au revoir.

assinatura_fran