Lojistas, porém, apostam em recuperação após paralisação de rodoviários.
Setor prevê liquidações de verão com faturamento 6,5% maior do que 2013

No primeiro dia de Liquida Porto Alegre, evento que reúne uma série de promoções no varejo da cidade até o dia 16, a greve dos rodoviários provocou queda de 50% nas vendas. A informação é da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da capital gaúcha. A paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus chegou ao oitavo dia nesta segunda-feira (3).

A demora para que o impasse seja resolvido preocupa o setor, que pediu, em nota, uma “solução imediata” para a crise. De acordo com a CDL, as perdas totais nas lojas de rua, após o início da greve, são de 55%, Já nos shoppings, há uma queda de 35% no movimento.

Apesar dos problemas no primeiro dia, lojistas acreditam que o prejuízo no Liquida Porto Alegre será recuperado assim que a paralisação terminar. “Os clientes que foram às compras superando o desafio de se deslocarem foram recompensados com excelentes preços e atenção total do lojista. O Liquida 2014 terá uma semana a menos de duração para que as promoções sejam realmente imperdíveis”, afirmou o presidente da CDL de Porto Alegre, Gustavo Schifino.

Mesmo com os problemas, o Departamento de Pesquisa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) prevê que queimas de estoque devem garantir uma expansão de 5,5% a 6,5% nas vendas do varejo gaúcho em janeiro e fevereiro, em relação ao mesmo período de 2013. O dado foi divulgado nesta segunda-feira (3).

Fonte